A imersão de um evento técnico para mulheres

Se alguém perguntasse para mim o que foi participar do Django Girls Brasília eu responderia: “você já abraçou quem você ama, fechou os olhos e sentiu um cheiro que só a pessoa tem?”

Senti a mesma sensação.

Quando esse abraço se desfaz você sabe que nada mais pode estragar seu dia. Nada.

O Django Girls é sobre acolhimento. Sobre se sentir em um espaço que foi feito pra você. Um espaço que existe porque você existe e, sem você, ele não faria sentido. Sem você menina, moça, mulher, que se juntou às outras na missão de descobrir as possibilidades do mundo da programação não existiria Django Girls.
Fazemos isso por vocês (e por nós), porque todas estivemos aí onde você está e gostaríamos de dizer você não está sozinha.

Não é pra menos que o slogan do evento é “Nós inspiramos as mulheres a se apaixonarem pela programação”.
Abrir as portas para mulheres que nunca programaram é oferecer um mundo de oportunidades, afinal, podemos ir para onde quisermos, mas o mundo insiste em dizer que não, e pra cada porta fechada, abrimos uma janela para algo totalmente novo.

O Django Girls Brasília começou a nascer muito antes do dia do evento, foi feito a muitas mãos, teve o toque de cada pessoa da organização. Ao longo das semanas aconteceram surpresas, algumas boas e outras nem tanto.
Não é fácil dar as caras, bater no peito e encarar um desafio tão grande, ainda bem que existem pessoas corajosas e o universo costuma colocá-las perto uma da outra.

A organização foi feita de pessoas assim, e foi dela a decisão de abrir o espaço para mamães e seus filhos no evento. Ver o sorriso de cada mãe foi tão emocionante quanto ter seus filhos nos braços.
Foram abertas 90 vagas e mais de 200 inscritas. Doeu dizer não? Doeu. Mas era preciso. Não havia estrutura para 200 mulheres, um dia haverá.

No que diz respeito às monitoras, cada monitora foi instruída com cuidado, para receber as participantes lembrando que todas já tiveram que aprender do zero e que cada ser humano tem um ritmo, um jeito ou uma metodologia, e era muito importante não impor um ritmo e sim respeitá-lo.

Todas nós passamos pelo tutorial universal, só então descobrindo quem seriam nossas alunas. Nosso tutorial era o mesmo do workshop no dia do evento. Éramos 30 monitoras, cada uma com 3 alunas.

A animação (e a ansiedade) cresciam de maneira inversamente proporcional à quantidade de tempo que faltava para o evento. Será que todas virão? Será que vai ter banner? As caronas estão organizadas? Alguém já pegou as camisetas? Meu Deus, precisamos de mais um computador! E a marmita vegana que tem bacon? Todo mundo fez o tutorial?

Deadlines são deliciosos e inspiradores, experimentem.

Quando as participantes chegaram, foram recebidas por mulheres com histórias inspiradoras não só de empoderamento, mas também de protagonismo. Representatividade importa, e nada melhor que mulheres falando para mulheres sobre a carreira na TI.

Após as boas vindas as monitoras encontraram suas alunas e se juntaram para fazer o workshop. As alunas configuraram ambiente, descobriram comandos de terminal e aprenderam o básico de python.

A confiança ia aumentado a cada hora. Foram 8 horas programando, 8 horas vendo a evolução de 80 pessoas, 8 horas onde todo mundo aprendeu.

Foram as melhores 8 horas do ano.

Mas porque ensinar Django para mulheres, só para mulheres? O Django por si só é uma ferramenta que abre caminhos, funciona em diversos sistemas operacionais, é gratuito e de código aberto. É uma tecnologia transparente e acessível a todos, se todos tivessem a oportunidade de aprender.

Mas nem todos têm, e quando falamos sobre mulheres aprenderem a lidar com programação, as oportunidades são ainda menores.

Somos construídas socialmente para acreditar que computador é coisa de menino, e iniciativas como o Django Girls existem para mostrar que programação é pra quem gosta, e que há espaço para nós também.

Mulheres conversando com outras mulheres sobre as mesmas dificuldades, dividindo as conquistas de cada etapa do tutorial e ajudando umas às outras, sendo que instantes atrás elas tinham acabado de aprender "hello Django Girls "(nossa versão de hello world).

São mulheres que ao final do evento tinham um site publicado e muitas barreiras internas vencidas.

O Django Girls é para mulheres porque é preciso.

Gostou? Compartilhe: